CRIE | Creche da Emília - Apaixonados por Crianças
CRIE | Creche da Emília - Apaixonados por Crianças

Quarentena: é hora de ter ainda mais calma com as crianças

Por: Administrador

Publicado em 13/05/2020 às 12:15h

Post Curiosidades

Seu filho está mais agitado, cheio de energia presa? Psicólogo dá dicas de como lidar com a ansiedade dos pequenos em tempos de isolamento em casa.

Não é fácil enfrentar esse período de isolamento. É complicado para adultos, crianças, idosos, para todo mundo. Os pequenos, então, não conseguem entender bem a situação e começam a ficar angustiados por não sair de casa. E, muitas vezes, os pais acabam também transmitindo para eles sua própria ansiedade.
O psicólogo da Unimed Vitória Vinícius Grassi destaca que é muito importante estar atento aos sentimentos das crianças neste momento de distanciamento social. "É preciso dar todo o acolhimento, explicar de forma leve e lúdica o que está acontecendo, ouvir o que elas têm a dizer e buscar formas de deixá-las mais confortáveis com a situação".

O psicólogo explica que é um grande desafio para os pais conseguir lidar com a ansiedade dos filhos, especialmente, os menores. "Até porque os pais também estão sob pressão. Então, este é o momento de praticar bastante a empatia em família, um entendendo o comportamento do outro, tendo paciência nos dias em que a criança não estiver bem ou se sentir irritada. Essa irritação é normal num período tão difícil quanto o que estamos vivendo", esclarece.

Dicas do psicólogo para lidar com ansiedade das crianças Converse O diálogo neste momento é fundamental. Use linguagem simples e adequada para falar com as crianças. Explique, quantas vezes for necessário, o que está acontecendo e como todos precisam colaborar com paciência e compreensão. Escute seu filho Deixe a criança falar também, manifestar seus sentimentos. E demonstre que entende o que ela diz e como sente.

Cobre menos Tente organizar minimamente a agenda diária das crianças, especialmente, no caso dos estudos em casa. Mas não se cobre se não conseguir dar conta de tudo todos os dias. 
Aceite os momentos de tédio O ócio será inevitável. Converse com a criança sobre esses momentos em que não haverá nada para fazer. Diga que também sente tédio, mas que todos precisam aprender a lidar com isso.

Distraia as crianças Façam algumas brincadeiras juntos, atividades em família. Desenho, música, dança, pintura, quebra-cabeça, jogos de tabuleiro, tudo isso ajuda a distrair e aproxima a família.

Dê mais liberdade Seja mais flexível quanto ao que podem fazer dentro de casa, claro, dentro dos limites de segurança. Se for possível, disponibilize a varanda ou quintal para as brincadeiras que precisem de mais liberdade.

Estimule o contato com familiares Faça videoconferências com amigos e familiares, avós, ou pessoas que a criança tenha afinidade.

Inclua a criança nas tarefas domésticas Tente inserir os pequenos em algumas de suas atividades domésticas, na hora de cozinhar ou mesmo na organização da casa. Faça com que eles se sintam úteis e participativos.

Informação na dose certa Não permita que elas recebam informações excessivas sobre o momento atual. As crianças precisam apenas saber o suficiente para compreender a situação.
Respire fundo No dia em que elas "surtarem" ou não estiverem bem, respire fundo e compreenda. Vai passar. É um reflexo do confinamento. A oscilação emocional é bastante natural.
Crie tempo de qualidade Façam as refeições juntos. É uma boa oportunidade para compartilhar tempo de qualidade com as crianças. Seja o modelo Você é o modelo de comportamento que espera do seu filho. Portanto, manter a calma, a organização e o respeito é fundamental neste momento.

Fonte: A gazeta

Comentários

Outros Posts

Como cuidar do emocional em tempos de pandemia

Curiosidades

Como cuidar do emocional em tempos de pandemia

O Enorme Poder das Crianças

Novidades

O Enorme Poder das Crianças

Turma Estrelinha | Tia Paula

Comunicados

Turma Estrelinha | Tia Paula